Lá vou eu!

brother bear koda

“E, se a chuva cair, não vou parar
Qualquer tempestade tem fim
E o vento no meu rosto a soprar
Me faz sonhar
O que eu quero é caminhar assim!”

Há alguns meses eu não consigo parar de ouvir uma música. Ela é trilha sonora do filme “Irmão Urso”, me viciei na versão traduzida da composição original do Phil Collins desde 2003. O filme é lindo, não é à toa que sou apaixonada pelas coisas da Disney. Me seduzem pela pureza, amor e encantamento. São tão – comercialmente – óbvias, mas não me importo em me render ao piegas do mundo. Enquanto publicitária descobri que a mensagem atinge quando ela é boa, não necessariamente original.

E aí… quando eu me vicio numa coisa é um problema. Vira loucura mesmo. Filmes: decoro os diálogos. Frases: reescrevo sem parar, até decorar. Fotos: me rendo a 50 ângulos de uma mesma paisagem. E com músicas não seria diferente… então eu ponho no repeat e já era, vira algo estilo tortura chinesa. Não canso fácil. Nos tempos do K7 gravava uma música seguida da outra, meu non-stop é totalmente sem noção.

A canção diz /Qualquer tempestade tem fim/ e isso era tudo que eu precisava absorver há alguns meses atrás. Eu martelava nesta frase, destacava com marca texto amarelo neon e acreditei que ela poderia transformar tudo ao meu redor. Ao ouvir essa música sinto coisas mexendo dentro de mim, emanam naturalmente: esperança, otimismo, determinação, superação, fé, positividade, valorização nas coisas simples da vida, desejo de contemplação da natureza, perseverança, positividade, coragem, alegria, pureza, paz, sonhos… imagina só, uma música simples mexendo com tanta coisa legal num coração aflito!

Uma das coisas mais cruéis do universo é entender que o mundo não pára porque você está triste. Não importa se um parente morreu. Se uma doença fatal apareceu. Se perdeu um emprego ou está passando por necessidades. Simplesmente não importa. O mundo não vai parar de girar, o tempo vai seguir, as dívidas não irão parar de chegar, você vai envelhecer, enfraquecer se não comer, engordar se não se cuidar e cair numa profunda depressão se não abraçar com carinho a causa “saúde mental”. É até capaz de você enlouquecer ou ter ideias malignas como suicídio, vingança, crimes… então é preciso ter humildade pra buscar a melhor terapia para cuidar com esmero de coisas psicológicas e emocionais – e não é viadagem minha!

Nem todo mundo tem dinheiro para investir num terapeuta profissional. Há ainda algumas pessoas que julgam como fraqueza ou apelação buscar esse tipo de ajuda. Inclusive, discriminam as leituras de auto-ajuda, julgando como senso comum ou conversa pra boi dormir. No entanto o que cada um precisa saber é que cada indivíduo é tão particular quanto sua impressão digital. Então, para cada um a terapia é diferenciada. Acredito que não se pode estabelecer uma receita pré determinada sem conhecer as particularidades de cada um.

Por alguns meses eu precisei olhar pra dentro de mim e resgatar a minha individualidade que por vezes fica perdida. Na rotina de agradar quem amamos, acabamos esquecendo um pouco das coisas que nos deixam realizados, aquele lado egoísta sadio – se é que isso existe – some e esquecemos de exercitar o fortalecimento da nossa auto estima. Agradar quem amamos por vezes passa a ser nossa realização, e isso é – em parte – errado, embora gratificante. É aquela velha história: pra te fazer bem, preciso estar bem.

E cá estou com minhas terapias particulares, a receita é basicamente: viagens, fotografia, bicicleta, música e novidades. Por novidades entenda, tudo novo mesmo. Comidas novas, lugares novos, hábitos novos, pessoas novas… vida nova. Faxina no quarto, no trabalho, na rotina, na vida…

Não esqueça, o mundo não quer saber se você está bem ou mal, ele não pára. Hoje me senti na obrigação de vir aqui e deixar registrada esta mensagem, hoje percebi que é pura perda de tempo lamentar certas coisas, portanto meu conselho é: siga em frente!

“Que todos saibam que lá vou eu
E o que eu mais quero é chegar
Com um lindo horizonte e um céu azul
Histórias eu quero contar”

Lá vou eu – Cordilheira dos Andes – Chile from Daniella on Vimeo.

Publicado em 19/03/2015, em Cinema & TV, Desabafos, Música. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: