Já sou o que eu ia ser quando crescer.

eu falando fezes

Outro dia eu acordei, olhei pro espelho e me vi adulta. Senti a idade numa primeira marquinha do rosto, de expressão que fosse. Me perdia nas lembranças e acabei percebendo que já estava cheia de história pra contar.
Vi que a cada dia que passava eu ia me tornando mais precavida, mais preocupada, planejada, conformada, conseqüente, seletiva, rotineira, previsível, mais cheia de remorsos… mais chata.

Tentava me consolar sozinha lembrando de pedacinhos de músicas, mas a coisa piorava… “se você é jovem ainda, jovem ainda, jovem ainda…” dizia o Chaves, que já é quase múmia… “Venha ser uma criança, girar nessa dança ser o que quiser”… e eu era uma dessas que assistia Carrossel… hum… melhor parar… antes que eu solte que as minhas novelas favoritas até hoje foram Tieta, Quatro por Quatro e História de Amor…

Se antes eu só ouvia falar nas festas Flash70’s, agora eu só vejo por aí as nostálgicas 80’s Party com todos aqueles sucessos que eu ouvia quando pequena. Já me pego escutando Patrícia Marx só por ter acompanhado a carreira dela. Bate a emoção quando toca Kaoma, só lembrando dos concursos de lambada infantis. E aqueles passinhos de patins no ring de patinação ao som de Pet Shop Boys. Ou as músicas de festa junina que marcaram as quadrilhas escolares. Só recordação.

Já não é mais qualquer festinha que me convence a sair de casa. Aquela linha “pau pra toda obra” vai selecionando a construção, não é qualquer galera, não é qualquer lugar, não é qualquer bebida… os exageros vão diminuindo, já sinto medo de chegar tarde em casa. Já não quero literalmente beber, cair e levantar. Já não quero acordar depois do almoço no dia seguinte.

Outro dia eu percebi que eu já estava explicando o que era LP para as crianças da nova geração. Já via meu irmão de sete anos fazendo contas complexas e me perguntando sobre os Irmãos Grimm.

É… não tem mais graça, já sou o que eu ia ser quando crescer.

O espírito esperançoso, aventureiro vai se comportando, se conformando. Vou começando a ver que nem tudo é como eu esperava que fosse. Pós-1º e 2º graus, pós-faculdade, a pós-graduação, pós-cursos&cursos, pós-empregos, pós-turmas de farra, pós-tudo! Cada fase vai acabando. Cada momento vai passando. As turmas vão mudando. Os objetivos se transformando. A vida vai colocando empecilhos para a realização dos sonhos. Eu amornando diante das dificuldades. Tudo começa a ficar mais racional, mais esclarecido, mais prudente… mais chato.

Há dias em que resolvo esquecer 10 dos meus 25 anos e vivo feito menina. Jogo tudo pro alto e faço de cada detalhe da minha vida uma festa. Mas não são todos os dias. Nestes dias esqueço que com o passar do tempo tudo tende a ficar mais chato. São dias em que eu vejo tudo com uma expectativa adolescente. Desejei de presente de aniversário mais dias como estes e é essa jovialidade que cada um de nós deveria preservar, mesmo que somente por alguns dias… o resto… são só dias chatos.

Esta não é a primeira vez que desabafo sobre o saco que é crescer… tá vendo, além de tudo estou repetitiva… coisa de gente velha… gente saudosista… coisa de gente chata.

Publicado em 20/04/2008, em Desabafos. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: