Meu primeiro amor…

ds 
Tan-tan-tam, tan-tan-tam, tan-tan-tam, tan-tan-tam…
I’ve got sunshine… on a cloudy day…
 
Essa musiquinha não dá uma nostalgia? Trilha sonora de Meu Primeiro Amor, o filme que me fez chorar como um bebê. Mas era exatamente isso que eu era, uma criança quando o filme fez sucesso. E volto aos velhos tempos toda vez que o vejo.
 
E o primeiro amor heim? Será que o filme quis dizer que todo primeiro amor termina em separação? Será que essa mensagem implícita um tanto trágica vem escondida num filme tão lindo? Hum… será que é como naquela música “Meu primeiro amor. Foi como uma flor que desabrochou e logo morreu…”? Será?
 
Na primeira vez que alguém mexeu comigo eu ainda era muito novinha. Jogava aviãozinho de papel com declaração de amor todas as vezes que ele passava pela rua. Lembro que o sorriso dele parecia com o do cantor Biafra, nunca fomos amigos, só coleguinhas de brincadeiras. Nunca aconteceu nada. Ainda cruzo rotineiramente com ele, mas não sinto nada, Júnior. E o primeiro beijo? Sabe aquelas árvores finas com umas flores de base rosa e cheias de fios brancos? Eu não lembro o nome. Pois foi sob uma árvore dessas ali na outra vila que o meu primeiro beijo aconteceu, Leandro. E o primeiro namorado? Recebia mil mimos, cartinhas, declarações, promessas de casamento, acho que foi o único capricorniano que me envolvi, Dênis. Mas nenhum desses foi meu primeiro amor.
 
Achava que meu primeiro amor fosse acontecer como em conto de fadas. Uma espécie de príncipe bem vestido, cavalo de crina branca, cheio de riquezas e castelos. Mas não, não foi nada disso. O meu primeiro amor foi sofrido, foi sufocante, desesperador. A primeira vez que me apaixonei não tive reciprocidade e, na época, como o Macaulay Culkin, ele também morreu.
 
Foi meu primeiro amor que me inspirou a começar a escrever. Lamúrias de uma apaixonada que hoje releio e vejo o quanto não perdi a paixão pela paixão. A paixão pelo sentir, pelo amar, pelo viver. Primeiro amor inesquecível que só hoje entendo que ele se mantém vivo e nunca morreu.
 
Dentro ou fora de mim, o primeiro amor é realmente inesquecível.
I got sunshine on a cloudy day
when it’s cold outside i got the month of May*
*Eu tenho o brilho do sol num dia nublado
Quando está frio lá fora para mim é como se fosse a primavera

 


 

 Contagem Regressiva: Faltam 2 dias!  (sugestão de presentes)

Publicado em 26/03/2006, em Amor. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: